quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Havia de ser nos pés?...

Hoje acordei como aquela senhora de Santa Maria da Feira que ontem foi às urgências, com "tonturas na cabeça".
Nunca vi ninguém com tonturas nos pés... eheheh

Aproveito para deixar aqui uma dica àquele parasita que anda a "mamar" do Parlamento, como assessor do BE (Balde de Esterco) e que acha a polícia portuguesa uma bosta.

Senhor Mamadou Ba, mameaqui, vá!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Tá um frio do c@r@lho

O episódio que venho contar tem pouco a ver com o facto de, nos últimos dias, me sentir a cair da boca aos cães e de nem ter vontade de ligar o computador.
De facto eu já me habituei a ser doente o que, de certo modo, é um alívio. Pelo menos já deixei de lado a ideia de que tenho que me esforçar para morrer saudável e se faço grandes caminhadas e tenho algum cuidado com a alimentação, é porque odeio sentir-me doente. Eu sei que não posso fazer muito para modificar a minha condição de doente crónico, mas uma coisa é ter duas doenças como que em hibernação, outra coisa é adormecer a sentir que estou a morrer e acordar a pensar que já morri e ainda não recebi o aviso, porque os CTT andam sempre a extraviar a correspondência.
Há 11 dias que parti um dente meio partido e nunca mais tive uma hora de descanso. Suponho que seja do antibiótico, não consigo controlar a glicémia. Ontem acordei com 254 e duas horas depois, estava com 82. É caso para dizer: não sei se morra de enfarte, se entre em coma diabético. E não se deixem levar por esta aparente boa disposição, porque eu sou um grande mentiroso e isto é tudo a fingir. O que menos tenho, nesta altura, é boa disposição...
Há dois fins de semanas que não saímos. Não consigo trincar nada e se o antibiótico não resolver o problema, vão-me raspar esta treta, o que significa mais umas semanas com dores e a sopas de café com leite. Uma merda...
Pronto, mas hoje tomei um Brufen 600 e, depois de fazer uma caminhada de 4 quilómetros, apetecia-me ver o mar, mas da minha casa só se veem os aviões lá ao longe, por cima de Lisboa. Para ver água, ou abro a torneira, ou vou de carro até ao mar/rio. E fui. Fui até ao passeio marítimo de Algés, andei um pouco à beira-mar, tirei fotos e andei meio perdido a tentar esquecer a minha desdita. Acabei por ir parar à estação (ou apeadeiro?) da Cruz Quebrada

onde, de repente, se abeira de mim um jovem meio esgrouviado a pedir se não me importava que me fizesse "uma pergunta bizarra". Fiquei a olhar para o gajo de esguelha, pois o local não é muito frequentado e nunca se sabe se ele não puxava de uma faca e me punha as tripas ao sol para me gamar a bolsa e a máquina fotográfica. Mas não. O jovem até me pareceu bem-falante e antes que eu tivesse tempo de emitir a autorização, o tipo pergunta:
- O que é que acha do meu aspeto? É que acabei de ser abordado por uma pessoa que falou como se eu tivesse um aspeto estranho... o que é que acha?
- Estranho? Naaa! Vá descansado porque, tirando o facto de estar um frio do c@r@lho e você andar de calções e chinelos, não lhe noto nada, nada, nada de estranho.
"Prontes", eu andei todo o dia assim, mas ele era jovem e os jovens não têm frio. 😇


sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Foda-se, há uma semana com dores

Na semana passada parti um dente partido. Um cabrão dum dente desvitalizado que se andava a partir aos poucos e fez ontem (quinta-feira) uma semana, partiu-se dentro da gengiva.
Estava aí o fim de semana e a ideia de passar dois dias com dores, à espera de consulta, levou-me a um dentista sem acordo com a ADSE. Ia pagar por inteiro (as consultas e tratamentos em médicos sem acordo, saem muitíssimo mais caros e só recebemos alguns meses depois de enviar o recibo), mas ficava aliviado logo no dia seguinte. Ficava, se corresse tudo bem. O problema é que aquele cromo deve ter-me lixado o maxilar e, passada uma semana a tomar Brufen 600, as dores não passam.
Amanhã vou ao meu dentista, o tal por quem não quis esperar, a ver se ele descobre qual é o problema, porque eu já não aguento mais as dores e não posso andar o resto da vida a tomar anti-inflamatórios.
Raisparta a puta da minha sorte.