segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Seminovo

Acho que já tenho este blog há demasiado tempo e tenho pensado como é que o tenho aguentado. Dantes mudava de blog como quem muda de camisa, mas acho que com a idade (porque já ando por aqui desde 2005) estou menos ansioso, menos instável e tenho-me contentado com pequenas alterações, quer na imagem de perfil, quer no nome de blogger.
Desta vez fui buscar o nome de um blog antigo (que era também o meu "nick") e que deve ter durado "praí" uns quinze dias. Naquela época poucas ou nenhumas pessoas sabiam a minha idade e por haver quem se deitasse a adivinhar, fiz esta brincadeira. É óbvio que, pouco tempo depois de revelar a idade, ela veio a revelar-se um "handicap" pois, acreditem, ou não, a ignorância gera muito preconceito e um sexagenário, por muito "open mind" que queira ser, para algumas pessoas é como se tivesse um carimbo na testa a dizer "VELHO". E um velho serve pra quê?
Como em tudo na vida, não podemos generalizar. Há quem não dê nenhuma importância a isso e até há quem ache que a idade está no espírito. Mas isso são aquelas pessoas que ainda cá não chegaram e não sabem o que são dores. É verdade que o espírito conta muito. A última coisa que eu quero é ficar a babar-me frente ao televisor, a ver os programas deprimentes da manhã e da tarde. Levanto-me todos os dias às 6:45, só me sento para almoçar e jantar (pequeno-almoço e lanches, é sempre de pé), o tempo nunca me chega para fazer tudo o que precisava, nunca ando menos de 5 Km por dia, a pé, consigo chegar às portas automáticas antes delas abrirem e tenho uma filha que me diz: tu não conduzes como os velhos, conduzes como os malucos. Mas já vou tendo saudades dos tempos em que me deitava e gemia mais de prazer do que de dor. Já me "retalharam" várias vezes, já começaram a tirar-me peças avariadas e há dias em que dou por mim a pensar onde é que estarei daqui por 5 anos. Mas enquanto conseguir andar com as minhas pernas e decidir o meu destino, recuso-me a ver o copo meio vazio.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Mesmo que quisesse...

Mesmo que quisesse "amandar prá veia", não podia. Ando sem "veia" nenhuma... nem para escrever no blog, nem para visitar/ler os blogs do pessoal que ainda não se esqueceu que esta espelunca existe.
Não é por falta de assunto, porque isso eu tenho sempre. O problema começa com falta de tempo (sou um mouro de trabalho lol) e continua com a falta de inspiração para sintetizar em poucas linhas, tudo o que me passa pela cabeça enquanto vou fazendo os meus biscates, que são muitos. "Ela" está sempre a refilar que eu não paro quieto, mas no dia em que eu parar, é porque estou morto. Ando cheio de dores nas costas e adormecem-me os braços e as mãos, por fazer demasiado esforço, mas não consigo parar. Não tenho paciência para me sentar a ver a lástima que são os programas da manhã e da tarde e ando sempre a "inventar". Mas, apesar das dores, esta atividade toda, queima-me o açúcar em excesso e estou com uma tensão arterial de um rapaz de 20 anos e, parecendo que não, daqui por seis meses já vou fazer 25.
Mas, dizia eu ali atrás, que enquanto vou trabalhando, tenho muitas ideias para escrever, mas depois de as "alinhavar" na cabeça, chego à conclusão que davam textos muito longos e eu bem sei que o que tem mais sucesso aqui nos blogs, são os "textículos" com meia dúzia de linhas e os meus vão daqui até ao Barreiro e só param no Samouco, para meter água. Por causa disso, até ando com umas ideias para fazer um "vlog". A sério, o pessoal que me conhece acha que eu tenho jeito para contar histórias e as histórias que eu gostava de contar, não posso, porque ninguém tem paciência para as ler.
Um dia destes vou experimentar a fazer um vídeo, a ver se pega. Só tenho receio que, com esta propensão que tenho para "me esticar", venha a sair uma longa metragem.
"Prontes", vou-me estender um bocadinho porque desde as 7 horas da manhã, ainda não parei e estou a cair da boca aos cães.